Auxílio emergencial foi responsável pela manutenção da economia em municípios mais pobres, diz estudo da UFPE

Um estudo realizado pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) mostrou que o auxílio emergencial de R$ 600 do governo federal foi responsável por manter a economia ativa durante a pandemia em municípios de menor renda e Produto Interno Bruto (PIB) e alta vulnerabilidade. De acordo com um dos autores do estudo, as regiões Norte e Nordeste tiveram maior impacto com o recebimento do benefício.

“Se for olhar o impacto sobre o PIB ou sobre a massa de rendimentos das famílias, tem vários municípios de estados do Norte e do Nordeste que se beneficiam bastante, como o Pará e o Maranhão. No estudo, a gente apresenta uma relação desses estados, onde tem [lugar] que o impacto sobre o PIB do estado chega a ser mais de 8% e, em nível de município, tem alguns que chega a ter impacto de 27%”.

A declaração é do professor de Economia da UFPE, Ecio Costa.

Confira a íntegra do estudo clicando AQUI.

Márcio Brito

Designer gráfico DaQui agência Digital e colaborador Mundial fm 91.3

Share on facebook
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email

Deixe um comentário

Enable Notifications    Ok No thanks